sexta-feira, 29 de julho de 2011

Amor incondicional

O que é amor incondicional?

Amor incondicional é quando sua dor é menos importante para você que a dor da outra pessoa.

Amar é colocar um pedaço da sua alma aos cuidados de outra pessoa, e ser responsável por um pedaço igual da alma dela.

Fonte: Sementes de Cabala

Você consegue isso? 

XXXiiiii.....


Pimenta nos olhos dos outros

Ao procurar alguma informação no Twitter sobre o incêndio me deparei com essas barbaridades de pessoas que não estão nem aí para o sofrimento alheio, que só sabem fazer piadinhas fora de hora sem se importar se alguém morreu ou perdeu tudo, gente que acha que isso nunca vai acontecer com eles. 


A gente reclama da bala perdida do policial, que mata inocentes, e nem percebe as balas morais que atiramos sobre pessoas que não fizeram rigorosamente nada. Nada.



E assim vamos, criando um mundo fantasioso e contaminado, 100% ilusório e injusto, que nos afasta tanto da realidade como da sensatez. 





Tou contigo @Dimi_Designer!

Dia de sol

Acordei enjoada de tanta pizza que comi ontem confraternizando com meus amigos. 
Ainda não fiz o cabelo e estou morrendo de sono. 
Mas tem sol e é sexta-feira! iiuuuhhhuuu! 


Bora viver. Bom dia.



Liberdade, igualdade, fraternidade

"Tem pão velho? Era um fim de tarde de domingo, a pessoa estava molhando o jardim da casa quando foi interpelada por um garotinho com pouco mais de Nove anos, dizendo: - Tem pão velho? Essa coisa de pedir pão velho sempre me incomodou desde criança. Na adolescência descobri que pedir pão velho era dizer: - me dá o pão que era meu e ficou na sua casa. Olhei para aquela criança tão nostálgica e perguntei: - Onde você mora? - Depois do zoológico. - Bem longe, hein! - É... mas eu tenho que pedir as coisas para comer. - Você está na escola? - Não. Minha mãe não pode comprar material. - Seu pai mora com vocês? - Ele sumiu. E o papo prosseguiu, até que eu lhe disse: - Vou buscar o pão, serve pão novo? - Não precisa não, a Senhora já conversou comigo! Esta resposta caiu como um raio. Eu tive a sensação de ter absorvida de toda a solidão e a falta de amor desta criança. Deste menino de apenas Nove anos, já sem sonhos, sem brinquedos, sem comida, sem escola e tão necessitado de um papo, de uma conversa amiga. 


Que poder tem o gesto de falar e escutar com amor! Alguns anos já se passaram e continuam pedindo "pão velho" na minha casa e eu dando "pão novo", mas procurando antes compartilhar o pão das pequenas conversas, o pão dos gestos que acolhem e promovem."


pascoalgomes@yahoo.com.br 

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A justiça humana não tarda. E falha.



A agressividade é humana. Tem função evolutiva. O animal precisa ser agressivo para se defender dos predadores. E o animal homem combina sua agressividade com a criatividade e inteligência para se sobressair na seleção natural. Ok, ok, sabemos que o mundo atual é uma selva de pedra mas não quero aqui ficar falando de ataques de vida ou morte, até pq nossa realidade é bem distante disso. Principalmente na internet.

Quero falar de um comportamento que anda intalado na minha garganta desde ontem e que percebo mais intensamente agora. Quero falar sobre os julgamentos apressados. Quero dizer que a justiça humana não tarda. E falha. E como falha.

Sabe pq? Porque julgamos apressadamente tudo. Simplesmente porque não somos isentos. Estamos sempre buscando uma reafirmação do que já achamos anteriormente.

Sempre que você acha um 'pensamento' bonito, é porque você concorda com ele, porque existe ressonância entre o que você já pensa e o que está lendo. Ou seja, estamos sempre RETROALIMENTANDO nossas opiniões, crenças e convicções, sejam elas lógicas ou não, lúcidas ou não, embasadas ou não. Se você acredita que gato preto dá azar, vai fazer muito pouco para questionar ou mudar essa crença e vai fazer sempre muita coisa para reafirmar, explicar, justificar ou disseminar essa crença. Assim somos.

Quer um exemplo? Você conhece uma mulher bonita, atraente e percebe que seu marido olhou diferente pra ela. Pronto. A culpa é DELA que passa imediatamente a ser rotulada de vulgar. De falsa. E você não vai com a cara...DELA. Insano isso, NE...  E é capaz até de torcer para que ela tropece na primeira esquina e quebre os dentes para deformar aquela carinha de boneca tão... vulgar. Aff...  Du-vi-do que esse tipo de pensamento já não tenha passado na sua cabeça pelo menos uma vez na vida. Confessa, vai...

Quer outro exemplo? Passei um ano juntando garrafas lindas de azeite espanhol para fazer um enfeite artesanal lindíssimo que vi numa revista. Quando finalmente consegui juntar a quantidade necessária e comprar as tintas, o sisal e os pincéis descobri que meu marido havia jogado TODAS no lixo. Isso mesmo! Ele jogou todo o meu sonho de um ano no lixo argumentando que “eram só garrafas vaizias”. Que era "lixo".  Julgamento apressado? Pois é... apressado e igualmente insano porque não analisou previamente o quanto fiquei magoada com isso.

Ele não pensou que para mim estava sendo a maior curtição do mundo criar com as próprias mãos algo que pudesse enfeitar a minha própria casa. Bobagem? Pode ser. Mas é bobagem humana. E merece valor e respeito.

Julguei e condenei ele? Não. Pq condenar é igualmente falho e humano.

Além do julgamento insensato, apressado e falho, há também a condenação imediata.

A sequência é mais ou menos assim: eu acho -> eu julgo baseado no que eu acho -> eu condeno baseado no que eu julgo e eu já parto pra ofensa pública, num átimo. E por que isso acontece? Porque não nos importamos com ideias ou situações, mas pessoas.

Você não gosta de mim, por exemplo. Portanto, já estou julgada e condenada. Tudo o que você procurar, pesquisar, ler, interpretar, será no sentido de CORROBORAR, justificar, encontrar motivos para provar que eu realmente não mereço seu respeito. Nas fotos vai ver meus defeitos, nos textos vai procurar incoerências, nos vídeos vai implicar com tudo, nas discussões vai ficar contra mim. Os emails... nem vai ler. Por que? Porque você, eu, todo mundo quer ESTAR CERTO. Estar CERTO é muito mais gostoso do que ser JUSTO. O cérebro gosta de acertar e não de ser imparcial.

E assim vamos, criando um mundo fantasioso e contaminado, 100% ilusório e injusto, que nos afasta tanto da realidade como da sensatez.

Portanto, se a gente não quiser piorar o ser humano, é bom baixar um pouco a bola. TODOS NÓS. Respirar fundo, diferenciar o que é SEU julgamento do que é a verdade, o que é SUA cisma e o que é a atitude ou intenção do outro.

E, sobretudo, tirar esse dedo do gatilho. A gente reclama da bala perdida do policial, que mata inocentes, e nem percebe as balas morais que atiramos sobre pessoas que não fizeram rigorosamente nada. Nada.

Pessoas que acusamos porque não gostamos, não nos identificamos, não temos simpatia, achamos que a pessoa ameaça o nosso porto seguro. Vai saber por quê...

Vamos parar de acreditar só no que é ruim, de consumir só o que é maléfico, de dar ouvidos para o pior lado, de julgar sem saber, de alimentar nosso monstro interior.

Vamos largar essa pedra, vai.
Não quer largar?
Tá, mas não atire a pedra em ninguém.
Coloque-a num lindo bonsai.








texto baseado num post da @rosana

Pensar não é agir

Pensar não é agir. Pensar não é viver. É só pensar. Fazer, sentir tem muito mais a ver com viver.
Hoje quero fazer algumas coisas que mais gosto: caminhar à noite na praia, sentir o vento no rosto, ver gente bonita e confraternizar. Quero ir a um restaurante que adoro, beber um excelente vinho francês, conversar, rir.  

De vez em quando a gente tem que fazer essas coisas. De vez em quando a gente tem que se presentear.

Bom reafirmar que sou dona da minha vida.

E você? O que tem feito pela sua?


terça-feira, 26 de julho de 2011

Quando o digital perde a graça no mundo digital

Pô, Amy...


Eu gostava da Amy. Olha, o problema das drogas é mais complexo do que parece. A pessoa tem uma tendência, um desequilíbrio químico, uma condição mental. Não é simplesmente o caso de dizer "ela procurou isso" e virar as costas. Ela tinha um impulso destrutivo. Não escolhemos os talentos, nem as fraquezas e doenças. A gente tem que aprender a lidar, a controlar, a se tratar. Se tudo fosse só questão de opção, então por que comemos comida que nos faz mal? Por que tanta gente quer emagrecer e não consegue parar de ingerir gordura, açúcar, porcaria? Nunca aconteceu com você? Você decide que vai fazer uma coisa e não CONSEGUE seguir aquilo que você mesmo decidiu? É só questão de "força de vontade?" Claro que não.
Texto: @rosana


E tem mais:

Os shows eram lotados de gente péssima, pedindo pra ela beber, aplaudindo quando ela tomava um gole. E as mesmas pessoas que ESTIMULAM o doente, o viciado, a consumir o que lhe mata vão apontar dedos na cara e dizer que "foi a escolha dela". Estas coisas absurdas como "gordo é sem-vergonha porque come muito", de "homossexual que fez esta opção" (a orientação sexual não é escolha e evidentemente não é uma doença, por favor), de drogados que "escolheram esse caminho", não tem sentido. Todos temos problemas, questões, condições, tanto faz o termo. Precisamos de ajuda e tratamento quando estamos doentes. Precisamos de respeito sempre. E o primeiro passo pra respeitar o problema do outro é reconhecer o nosso. Mas, né, tem que ser muito bem resolvido pra admitir sua verdade. Eu vou lamentar a morte da Amy. Como eu lamentaria qualquer morte prematura, qualquer vida de sofrimento.
Eu era fã. Ainda sou.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

A rotina

Sobre rótulos e promessas

Você conhece água light?

Já ficou com um liso perfeito ao usar esse shampoo?


Já experimentou um brilho tridimensional?


Esse promete colocar seu cabelo de castigo e deixar seus cachos comportados...


Chocolate Alpino SEM Alpino... 


por aí vai, né gente...

Imaginação e vacas

Minha semana vai ser maravilhosa se eu seguir a lição da vaca.





Boa semana para todos!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sobre o álcool


Dica @throssi

Dia do Amigo

Felicidade é perceber que a gente pode ser referência na vida de alguém. Não uma referência circunstancial e espacial ("aquela dentuça ali"; "aquela gorda"; "aquela nariguda que tá de casaco azul"), mas uma que se perpetue tempo afora. 


"Aquela que cancelou uma reunião pra tomar uma coca-cola comigo".


Ser amigo é ser pau pra toda obra todos os dias, NÉ gente?!

E eu... tenho muita esperança de durar pra além do esquecimento.

Círculos do Google+

Rede social nova e tal, é bom você já pensar como vai separar as pessoas.

Aqui tem umas 
boas sugestões pra você ;)




terça-feira, 19 de julho de 2011

Você tem TOC digital?

Estava eu aqui na minha mesa, enlouquecida entre os emails e o habitual bloqueio criativo da tarde, quando resolvi parar para escrever sobre meus TOCs. Sim, porque não? Vocês acham que quem recebe uma média de 400 emails, posts e feeds por hora não tem TOC digital? 

Então vejam abaixo alguns dos que me lembro:

Não consigo ler texto em Word ou pdf se ele não estiver em Trebuchet, corpo 9, pintado de escarlate e em uma página tamanho A4 com 2 cm de margem de cada lado;

Tudo no meu computador é baixado pro meu desktop e depois guardado dentro de sua respectiva pasta, mesmo que seja só um arquivinho e que isso faça com que meu desktop ou Outlook fique parecendo um labirinto sem fim

Tenho crises de falta de ar toda vez que alguém me responde o e-mail com todo o histórico apagado ou quando recebo e-mail para o qual não tenho uma pastinha designada

Depois de encurtar um link clico no atalho pelo menos três vezes pra ver se vai conectar direitinho

A cada 140 toques que eu digito em qualquer lugar, preciso parar tudo e abrir o iGoogle pra ver meus gadgets e depois o outlook pra ver meus feeds (só pra ver o que tá rolando, não pra ler) e dar uma olhada nos MSN e GTalk pra ver se alguém novo entrou (só pra ver também, não pra falar)

Cada vez que publico um post no Face entro de meia em meia hora pra ver quem curtiu

E aí vai o pior deles: se aparece o ícone de nova mensagem na barra de tarefas eu não consigo fazer mais nada enquanto não visualizar a msg (por mais que eu tente).

E você? Tem algum TOC digital? Me conta, vai...







Obs. A dica foi da Bia Granja

A internet é feita de pessoas

Por trás dos monitores, há gente de verdade que, como você, têm uma vida, amigos, sentimentos e tudo o mais. Vale a pena ver essa animação para pensar em como você tem tratado os outros na rede…




Fonte: youpix

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Desunida!


Ontem, antes de ir pra festinha do clube passei no bar da piscina do meu prédio. E quando disse que precisava sair minhas amigas disseram: poxa, vc vai deixar a gente? Então as chamei pra ir comigo. E fomos juntas pro clube.

Chegando ao clube, uma das minhas amigas do clube (que me viu sentada com as amigas do prédio) gritou: sua desunida! Nem fica lá comigo!

Enfim... ando feliz pra caramba por ser a amiga mais desnaturada do planeta, que é cheia de amigas!



Quarta feira é dia do amigo. Não posso me esquecer! Afinal de contas, amo todas as minhas amigas...



Biaaa! Esse foi pra você!  :-)


Binha, vlw pela dica e pela foto linda que copiei do seu blog!

Viva a liberdade de viver

Ontem consegui ler um pouco e pensar na vida. Apesar disso o fim-de-semana foi intenso, cheio de eventos, festas e três noites dormindo pouco ou quase nada.

Acho que, inconscientemente, nosso cérebro busca paz e tranquilidade para se preparar para a morte... e a gente vai remando contra, também inconscientemente...

Vai ver no fundo o nosso problema é esse mesmo, o medo de que tudo seja uma vida sem sentido que termina com a gente morrendo no final, igual a filme europeu ruim.

Enfim, deixemos a morte para depois. 

É uma linda segundona de inverno e eu estou feliz, porque descobri que sou livre e estou viva. Viva a liberdade de viver.

Não sei como pode uma pessoa suportar que restrinjam a sua liberdade de viver...

Boa semana pra todos

(essa ilu acima chama-se "ousadia")

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Alô? Fada madrinha?!

Neste exato momento, pouco me importa se o batom vermelho é tendência, se o Julio César é frangueiro ou se o pato é ganso. Estou aqui, concentrada nos meus problemas, tentando fazer algo bem mais básico: ganhar dinheiro.


Porém, como sou marrenta, vou em frente. Vou controlar a dor, o medo, a chateação de ter que acordar cedo e vir trabalhar todos os dias e vou pedir pra alguém no além me dar uma anestesia. Depois eu sigo muda no trabalho e, finalmente, participarei de uma reunião de criação mais à noite, regada a àgua fria e bilhetinhos em post-its.

Não sou do tipo que faz drama com as próprias doenças ou coisas do gênero. Mas acho que estou dando um passeio no lugar errado. Me sentindo fora do meu aquário. O universo é assim. Às vezes prega peças com a gente e só nos damos conta dos objetivos dele muitos anos depois de cem posts reclamando da vida.

A gente sofre, a gente se adapta. A gente vai levando.

Tô triste com o anjo da guarda. E com a fada madrinha. Eles não tem vindo me visitar.





fonte @rosana

Meu cofrinho gritou

Existem duas vertentes de pensamento. Aquela que postula que não devemos compartilhar nossas mazelas para não causar desconforto aos amigos e a outra, que aposta na exposição dos seus piores momentos como alento para todos os que passam por problemas semelhantes. Vou pela direita. Não sou do tipo que faz drama mas nunca, em toda a minha vida estive tão sem $$$$$ pra comprar futilidades femininas... Afff.... que estresse!


Quero dimdim pra comprar roupas novas, sapatos, formol pro cabelo, produtos da mary key... e uma bolsa nova chiquerérrima... Falem, meninas, isso tudo não é melhor que chocolate? Ai, ai... (perdoem-me os amigos de papo-cabeça mas eu estava precisando desabafar meu lado capitafutilinutilconsumist​a rsrs)

E vamo que vamo


Ps. Adaptei minhas vertentes capitafutilinutilconsumist​as de pensamento à dica da @rosana. 

terça-feira, 12 de julho de 2011

I quit




Dizem que a ansiedade é o mal do século e que a bipolaridade é a doença da década. Fico me perguntando se as pessoas andam ficando mais doentes ou se apenas estão dando mais nomes a problemas que sempre existiram. Tanto faz. Agora tem nome, sobrenome, tratamento e controle. E, em alguns casos, a cura.

Esses dias tenho achado as pessoas tão necessitadas de ajuda que vou tentar explicar aqui uma coisa: uma mola tem coeficiente de elasticidade. Se você a estica demais, ela deforma e não volta mais ao normal. Acontece que, como no caso da mola, tem gente que se deforma, não volta ao normal. A pessoa tem um dia horrível no trabalho, na vida afetiva, no banco, no trânsito e perde a cabeça. Chega em casa e, em vez de voltar ao seu "normal", já que os estímulos externos cessaram, continua nervosa e estressada. Algumas nem voltam pra casa e procuram desestressar em vão com outras pessoas igualmente estressadas.

Não quero mudar o mundo, mas estou aprendendo a me adaptar a ele e a responder a pergunta que mais interessa: o que eu quero da minha vida? Eu sei o que EU quero.

E se você também souber o que você realmente quer, fica fácil verificar se o que a gente está fazendo está nos levando ou nos desviando do nosso caminho.

Tem dias que é preciso voltar atrás e retomar a estrada certa, aquela que a gente perdeu na bifurcação da ansiedade.  That´s it. I quit. I´m movin´on



When we used
To say goodnight
I'd always kiss
And hold you tight
But lately
You don't seem
To care
You close the door
And leave me
Standing there
Oh, honey
That's not fair
That's it, I quit
I'm movin' on
The other night
We had a date
An you showed up
To hours late
And though your hair
Was all in place
Somebody smeared
Their lipstick
On your face
Oh, they smeared it
Every place
Ye that's it honey
I quit I'm movin' on
Oooohhhh
You made me want you
You made me leave you
You made me tumble
And fall
But if I
Can't have you the way
I want you
I don't want you at all
Baby, I can take a lot
Cause I love
Eerything you got
Though your kisses
Fill me
So if you got
Someone else
I gotta go
Oh, that you know
Ye that's it honey
I quit I'm movin' on
Oooohhhh
You made me want you
You made me leave you
You made me tumble
And fall
But if I
Can't have you the way
I want you
I don't want you at all
Baby
I can take a lot
Cause I love
Everything you got
Though your kisses
Fill me
So if you got
Someone else
I gotta go
Oh, that you know
So that's it baby
I quit I'm movin' on
Ye that's it baby
I quit now
I'm movin' on

Mapas

Tirinha incrível do Gus Morais, no youpix






Oração

Querido Deus,

Até agora o meu dia foi bom:

- não fiz fofoca
- não perdi a paciência
- não fui gananciosa, sarcástica, rabugenta, chata e nem irônica
- controlei minha TPM
- não reclamei
- não praguejei
- não gritei
- não falei mal do chefe
- não tive ataques de ciúmes
- não comi chocolate
- também não fiz débitos em meu cartão de crédito, nem dei cheques pré-datados

Mas peço a sua proteção, Senhor, pois estou para levantar da cama a qualquer momento…

AMÉM



segunda-feira, 11 de julho de 2011

Machismo sucks

O cliente de uma grande emissora de TV me comunicou que provavelmente terei que acompanhá-lo numa viagem para apresentar um projeto daqui há alguns dias. Entretanto ele disse que sua esposa terá que ir conosco porque ele, como "homem cristão", não poderá viajar acompanhado de uma mulher sem a presença da “senhora” dele (suponho que isso seja feio, ilegal, imoral e cause náuseas).

E também imagino que ele ache que gestores cristãos sejam mais evoluídos que contratados cristãos.  Afff.... 

Amém

A velhinha e o Marcedez

De que adianta ter muita grana e uma Mercedez, se você é um babaca e uma velhinha que mal consegue andar é muito mais esperta que você?! Tsc, tsc, tsc!



youpix

De que é feita a internet?



rathergood.com

Houston I have a problem

Minha vida está uma bagunça incontrolável. Papéis por toda parte, bolsa desorganizada, contas atrasadas, jobs pendentes. Tenho mais de 400 emails acumulados em minha conta pessoal. Projetos para escrever, agenda para organizar. Perdi o controle.

Às vezes é bom perder o controle. Mas essa semana preciso aterrisar as asas em solo firme para poder respirar com segurança. Houston, se eu conseguir me manter firme... aviso no final do dia. 


As estações


Seasons from Erica Haowei Hu on Vimeo.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Google+

Envie essa mensagem para 10 amigos das suas redes sociais.
Se você enviar para 10, seu pedido será realizado em até 3 horas.
Se enviar para 5 amigos, a conta será aceita em 3 dias.
Se apagar essa mensagem e não enviar para ninguém, você passará o resto da vida recebendo gifs com estrelinhas piscantes no Orkut.  

(é contigo mesmo...)


---------------------------------------------------------------------------------------


Tem mais:


por @thiagorossi







quarta-feira, 6 de julho de 2011

Você come com os olhos?

Então veja:

A dica é do @blogcomunica no @avoltadosquenaoforam

Me leva



Vamos lá, pra onde a vida é leve como o ar




----------------------------------------------------------------------


UPGRADE:  Making of:

terça-feira, 5 de julho de 2011

Desculpe, sou mulher e sou igualmente inteligente


Mulheres que enfrentam situações de preconceito no trabalho em função do sexo sentem-se mais competentes, com mais autonomia e maior auto-estima. Tanto na profissão como na vida pessoal.

É o que sugere uma pesquisa da Universidade de Nebraska-Lincon e publicada na revista <Sex Roles>. Segundo o estudo, “desafiar diretamente os casos de discriminação sexual pode funcionar como um antídoto para os efeitos psicológicos negativos, isto é, transforma um evento negativo em algo que faz com que as mulheres sintam-se melhores sobre si mesmas e seu trabalho. Elas saem fortalecidas."

Além disso, a pesquisa mostrou também que as funcionárias que partiram para a ação e não deixaram passar em branco aquelas piadinhas sexistas – mesmo que sutis – são aquelas que encaram o ambiente de trabalho como uma comunidade. São aquelas que, naturalmente, estão mais dispostas a ajudar os outros sem esperar nada em troca.

Por outro lado, as que se calaram eram as mesmas que pensavam apenas em si próprias, sem se importar com a equipe. Para os pesquisadores, as descobertas do estudo também podem ser úteis aos empregadores. Eles teriam a chance de olhar para o problema do preconceito sob um novo prisma e promover campanhas para mudar a cultura de trabalho, estimulando uma maior integração entre os funcionários.

Você já passou por uma situação dessas? Fica aí a dica. Da próxima vez que ouvir uma declaração preconceituosa entre seus colegas de trabalho, mete a boca neles. 

Afinal, você é descolada o suficiente para saber que sua bagagem e conhecimento são sempre muuuiiito mais competentes. 

Ha-ha-ha.

Qual a melhor capa de disco de todos os tempos?

Até sábado, 18 de junho de 2011, quem for à Escola Panamericana poderá ver de perto as capas de 50 álbuns que marcaram época e eleger, por meio de uma votação eletrônica, a melhor capa de todos os tempos.






Fazem parte da competição álbuns como “Nevermind (Nirvana – 1991)”,  “Atom Heart Mother (Pink Floyd – 1970)”, “Revolver (The Beatles – 1966)”, “Secos&Molhados (Secos&Molhados – 1973)”, “Roots (Sepultura – 1996)”, “Cabeça Dinossauro (Titãs – 1986)”, “Meat Is Murder (The Smiths – 1985)”, “Elvis Presley (Elvis Presley – 1956), “The Velvet (The Velvet – 1967)”, entre outros.


Também é possível votar pelo endereço:
http://mtv.uol.com.br/projetos/panamericana
.



Para mais informações: Escola Panamerica.





Por Tarcila Zonaro